terça-feira, 30 de setembro de 2014

Curso de Memorização dos Salmos


Sidney Silveira

PROMOÇÃO para alunos do Instituto Angelicum:

> 20% para quem já faz 1 curso (mensalidade passa para R$ 100,00)
> 30% para quem já faz 2 cursos (mensalidade passa para R$ 87,50)
> 40% para quem já faz 3 cursos (mensalidade passa para R$ 75,00)

As pessoas que se enquadram nestes perfis podem escrever para Lissandra Lopes de Oliveira, pelo e-mail contato@institutoangelicum.com.br

Está chegando a hora! O curso começa dia 18/10.

As INSCRIÇÕES CONTINUAM ABERTAS no link:


Tenham aqui um tira-gosto:

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Hierarquia entre as virtudes cardeais

Sidney Silveira

Um amigo querido indaga-me se existe, segundo Santo Tomás de Aquino, uma hierarquia entre as virtudes chamadas "cardeais". A resposta é simples: há, sim, uma ordem hierárquica balizada pelo fato de que uma virtude pega de empréstimo de outra os seus princípios.

Assim, temos a virtude da PRUDÊNCIA como conformadora de todas as demais, pois não existe justiça, não existe fortaleza e não existe temperança sem reta razão no agir — que é o "proprium" da prudência.

A escadinha ontológica prossegue: JUSTIÇA > FORTALEZA > TEMPERANÇA.

Tal ordem decrescente se define tanto pelo fim buscado por cada virtude como também pelo fato de que uma dá, metafisicamente, forma à outra.

Fiz um videozinho de improviso, gravado com o meu celular, e o compartilho para este amigo querido — assim como para todos os que porventura se interessem pelo tema.

Feliz ou infelizmente, a bateria do aparelho acabou no meio da fala...

As imperfeições que houver, seja no conteúdo, seja na maneira de evidenciá-lo, devem ser debitadas na conta da incompetência do expositor, mas nunca na da elevada doutrina do Aquinate.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

CURSO DE MEMORIZAÇÃO DOS SALMOS: a "solertia", ato máximo da prudência



Sidney Silveira

CURSO DE MEMORIZAÇÃO DOS SALMOS (Instituto Angelicum)

"Solertia": ato máximo da prudência

Disponibilizo um trecho de aula do Curso de Memorização dos Salmos para que os possíveis interessados tenham a clara noção do seguinte: além de memorizarem o texto sagrado, terão um comentário a respeito de cada versículo de cada Salmo.

No caso do Salmo 1, versículo 1, a propósito, o tópico é a PRUDÊNCIA:

Eis como tira-gosto o Salmo completo, com os respectivos tópicos dos seis versículos:

(Salmo 1): TEMA: A VERDADEIRA FELICIDADE 

1- Tópico: PRUDÊNCIA: "Ditoso o homem que não se deixou levar pelo conselho dos ímpios, / que não se deteve no caminho dos pecadores, / que não se sentou na cadeira dos zombadores".
2- Tópico: MEDITAÇÃO DA LEI: "Mas que tem a sua vontade posta na lei do Senhor, / e nesta lei medita de dia e de noite".
3- Tópico: FERTILIDADE: "Será como a árvore, que está plantada junto às correntes das águas, / que a seu tempo dará o seu fruto, / e cujas folhas não cairão; / e todas as coisas que ele fizer serão prósperas".
4- Tópico: VENTO DO ORGULHO: "Não assim os ímpios, não assim; / mas serão como o pó que o vento dispersa à superfície da terra"
5- Tópico: CEIFA DO JOIO: "Por isso os ímpios não ressuscitarão no juízo, / nem os pecadores (estarão) na congregação dos justos;"
6- Tópico: JUSTIÇA DIVINA: "Porque o Senhor conhece o caminho dos justos, / mas o caminho dos ímpios perecerá".

INSCREVAM-SE JÁ:

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Primazia e centralidade do verbo ser



Sidney Silveira

Estes petiscos do curso "A Língua Absolvida", ministrado pelo querido amigo Sergio De Carvalho Pachá, servir-nos-ão (aqui a proposital mesóclise alude ao tema da clise, tópico de outra aula) para divulgar esta iniciativa pedagógica num futuro próximo — pois, após encerrar-se, ela continuará à venda no site do Instituto Angelicum para possíveis interessados.

Teremos um segundo módulo, mas também haverá outro curso com o Prof. Sergio (desta vez, de literatura). 

Mas deixo a SURPRESA para o final de novembro.

P.S. Numa exposição dialogada, é comum ocorrerem pequenos lapsos. O próprio Sergio manda lembrar a todos o seguinte: ""CORREÇÃO NECESSÁRIA: "No enunciado 'sou andante' o núcleo é 'andante'. E daí nós dizermos que é um predicado NOMINAL".

terça-feira, 16 de setembro de 2014

AMOR: radical inclinação da alma humana ao bem

video
Sidney Silveira
PÍLULA de PSICOLOGIA TOMISTA, lida com sotaque lusitano

"O amor é o modo próprio da sanidade psíquica. Boa parte dos males da alma humana aponta para algum déficit de expansão amorosa, quando a vontade se desgoverna ao ponto de prejudicar a compreensão do nexo hierárquico das coisas implicado nas escolhas humanas — dentre as quais o amor é a mais livre, pois ninguém pode ser coagido a amar. Noutras palavras, percebemos melhor o mundo, as pessoas e a nós mesmos nos atos de amor, quando a inteligência e a vontade, irmanadas, geram a "virtus unitiva", expressão usada por Tomás de Aquino para designar a força agregadora desta radical inclinação da alma humana ao bem. O saudável dinamismo psicológico de uma pessoa depende de que essa tendência amorosa natural não seja obstada. Por isso, não erraria quem dissesse que muitas patologias anímicas são doenças do amor malogrado.

O amor aperfeiçoa a alma, refina-a, mas ele próprio pode e deve ser aperfeiçoado e refinado desde tenra idade com medidas que favoreçam a abertura da inteligência aos bens reais".

TEXTO COMPLETO em:

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Importância da magnanimidade para o estudo da filosofia




Sidney Silveira

O magnânimo (do latim "magnus animus") é o sujeito psiquicamente predisposto a realizar obras grandiosas, e para tanto faz a seguinte profilaxia: antes de tudo, foge dos elogios fáceis, das adulações e dos tapinhas nas costas como o diabo foge da cruz, pois enxerga com meridiana clareza o ridículo da vanglória, verdadeira praga que pode corroer de maneira insidiosa as realizações às quais se sente chamado — por possuir com elas certa conaturalidade. 


Quantas vocações intelectuais se frustram por não serem temperadas pela virtude da magnanimidade, sobretudo entre jovens de notável potencial! Para estes, a melhor fortuna é encontrar um mestre sábio e prudente que os faça PROGREDIR SEM PASSAR PELA ARROGÂNCIA, porque quando tal coisa acontece é muito difícil depois reaprumar a alma, sobretudo se se trata de vocação filosófica. 

Ordenar, pois, os estudos como quem decodifica uma variante do xadrez — ou seja, com paciência e clara visão dos fins buscados — e ao mesmo tempo exercitar-se na virtude da humildade: eis aqui os dois primeiros degraus para quem pretenda construir algo de real valor, independentemente do sucesso ou do insucesso de seu labor aos olhos dos contemporâneos. 

A quem porventura se interesse por entender os benefícios da magnanimidade como virtude sanatória da inteligência, indico os OITO ARTIGOS da Questão 129 da IIªIIª da "Suma Teológica" de Tomás de Aquino, assim como o livro "Orden Natural y Orden Moral, de Alberto Caturelli.

Vale neste ponto uma advertência, apenas: magnanimidade e humildade andam juntas, mas só pode ser de fato humilde quem é capaz de suportar a solidão moral, ou, noutras palavras, não se sentir triste ou incomodado por remar contra a maré. 

Por isso, a regra número 1 é fugir às patotas e às curriolas. 

Sobre a humildade, remeto os leitores do Contra Impugnantes a um pequeno vídeo disponibilizado no Youtube em 2012: 


BREVE NOTA sobre a obra-prima do Pe. Álvaro Calderón


Sidney Silveira
Parece-me útil dizer uma palavrinha às pessoas que, nesta semana, começam a receber o livro "A Candeia Debaixo do Alqueire".

Muita atenção ao método dialético da "disputatio"! O leitor não de todo familiarizado com ele pode erroneamente tomar por argumento do autor justamente a tese a ser refutada. 

Ao contrário do que se observa hoje no ambiente acadêmico, em que susceptibilidades são feridas de morte perante a mais insignificante das objeções, o método da disputa — tão caro aos medievais — não apenas pressupõe a total acolhida ao argumento da outra parte, mas, sempre que possível, formula-o primorosamente.

Como dizia Santo Tomás de Aquino, é preciso escolher, entre as objeções à verdade, as mais bem urdidas. Assim a refutação dos erros rebrilhará na conclusão magistral.

domingo, 14 de setembro de 2014

Anglicismos, galicismos e exotismos


Sidney Silveira

ESTES ENCONTROS com o Prof. Sergio de Carvalho Pachá, para gravações de aulas do curso "A Língua Absolvida", do Instituto Angelicum, são uma verdadeira delícia...

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

CHEGARAM da gráfica!

Sidney Silveira

Caixas e mais caixas do livro "A Candeia Debaixo do Alqueire", obra-prima teológica (e para muitos intragável) do Pe. Álvaro Calderón.

Amanhã (quinta, 11/09) começaremos a despachar pelos Correios a quem já pagou.

Como já tivemos vários pedidos, graças a Deus rapidamente estas caixas se esvaziarão.

Quem tiver interesse, garanta o seu exemplar, pois esta remessa vai embora logo, como a anterior da mesma obra.

Informações sobre como proceder estão no link abaixo:

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Curso de Memorização dos Salmos



Sidney Silveira

As inscrições CONTINUAM ABERTAS no site do Instituto Angelicum. Os interessados podem informar-se no endereço eletrônico abaixo:

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

"A Candeia Debaixo do Alqueire": livros nesta semana


Sidney Silveira

A quem já pagou pelo estupendo livro "A Candeia Debaixo do Alqueire", do Padre Álvaro Calderón, da FSSPX, informo que os exemplares começarão a ser postados nos Correios nesta sexta-feira (12/09). Aproveito a ocasião para salientar às várias pessoas que fizeram os seus pedidos, porém ainda não realizaram o depósito — conforme instruções recebidas por e-mail —, o seguinte: 

> Não poderemos garantir os exemplares por tempo indeterminado, pois novos pedidos nos têm chegado todos os dias e queremos despachá-los o quanto antes, visto termos uma equipe de trabalho exígua e atualmente nos concentrarmos na apresentação, para o próximo mês, do livro seguinte do Instituto Angelicum: "As Heresias de Pedro Abelardo", de São Bernardo de Claraval.

Pedimos, pois, a quem nos tenha escrito e esteja realmente interessado em adquirir a obra do Pe. Calderón que confirme a aquisição e nos informe pelo e-mail livros@institutoangelicum.com.br, de acordo com as indicações anteriormente passadas.

Obrigado.

Saudações da equipe do Instituto Angelicum.

P.S. A quem não sabia da reimpressão deste notável livro de teologia, indicamos o link abaixo:

Aprenda o Latim como língua viva, no Instituto Angelicum



Sidney Silveira

O querido amigo Luiz Astorga, competente Doutor em Filosofia Tomista pela PUC de Santiago do Chile, fala neste breve vídeo das vantagens do método de aprendizado do latim criado por Hans Ørberg, em relação à famosa “Gramática Latina” de Napoleão Mendes de Almeida — sem, no entanto, desfazer dos méritos específicos desta. 

Poliglota com pleno domínio da língua latina, Astorga sublinha a dificuldade, e também o caráter contraproducente, de se aprender o latim como língua “morta”, para tanto servindo-se de muletas metodológicas das gramáticas do idioma vernáculo pátrio. 

No Brasil, o Instituto Angelicum é a única opção de aprendizado do latim pelo método Ørberg. 

Portanto, se você tem interesse em aprender a língua de Cícero por um método extraordinariamente simples, inscreva-se numa das turmas do Instituto Angelicum:

Trilhos da liberdade


Sidney Silveira

O LIVRE-ARBÍTRIO humano não é medido por atos duma vontade presumivelmente autônoma, independente da intelecção das coisas reais, mas, ao contrário, é a capacidade de obrar bem por meio de escolhas objetivas acertadas, sublimar-se pela inteligência, transcender à instância sensitiva, atuar visando a um fim ao qual o homem está — por natureza — "ob-ligatus", ou seja, em face do qual ele se mantém LIGADO a uma ordem de bens que ultrapassa a instância metafísica dos seus atos voluntários.

Tal "ob-ligação" implicada no livre-arbítrio é o vínculo entre a inteligência e o bem, atualizado nas escolhas levadas a cabo sob o império da vontade orientada pela luz da razão natural

Escolher bem é caminhar nos trilhos da liberdade; escolher mal é reduzir a instância em que labora o livre-arbítrio, pois significa que ou a inteligência não analisou a situação de maneira objetiva, ou a vontade, enfraquecida por paixões desgovernadas, não conseguiu superar as dificuldades nas quais se embrenhou.

Toda vez que o homem se desobriga de vincular-se aos bens reais — nas situações apresentadas cotidianamente perante a sua consciência —, diminui-lhe a liberdade.

Após Lutero, perdido decisivamente o vínculo entre a inteligência e o bem, e transformada a vontade numa espécie diabólica de causa sui, a liberdade se identificará de maneira canhestra com os mais tresloucados tipos de subjetivismo voluntarista. 

O mundo contemporâneo, refém de noções equívocas de liberdade, é tataraneto de Lutero, pobre-diabo que periga estar nalguma estância calorífica do quinto dos infernos. 

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Coleção Salamanca



Sidney Silveira

TENHO ALGUNS DOS AUTORES citados por Marcus Boeira nesta breve palestra de apresentação da Coleção Salamanca, da nova editora Concreta, em especial conta.

Sobretudo três, que a meu ver são superiores (todos tomistas da melhor cepa): 

> Domingo de Soto 
> Domingo Bañez 
> Melchor Cano 

Acrescentaria outro fabulosíssimo filósofo: Francisco de Araújo — autor de um dos mais precisos comentários ao Tratado da Lei de Santo Tomás na "Suma Teológica". 

Boa sorte a Renan Martins Dos Santos, responsável pela Concreta. 

Que venham os livros!

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

“A Candeia Debaixo do Alqueire”



Sidney Silveira 

CHEGARAM-ME DA GRÁFICA AS PROVAS heliográficas do livro "A Candeia Debaixo do Alqueire", do Pe. Álvaro Calderón, cujos exemplares desta limitada reimpressão deverão estar conosco já na próxima semana.

Reitero o que foi dito em postagens anteriores: quem quiser adquirir esta inquietante e profunda obra deve mandar, o quanto antes, e-mail para livros@institutoangelicum.com.br, para garantir o seu exemplar (recebemos várias mensagens de solicitação do livro, mas não custa avisar de público a outros possíveis interessados). Por sua vez, quem já nos escreveu não precisa fazê-lo novamente, pois nos próximos dias terá uma resposta do Instituto Angelicum com a indicação sobre como proceder.

Faço agora um brevíssimo comentário à obra.

Qualquer pessoa dialeticamente adestrada perceberá de imediato o caráter epistemológico da teologia — sobretudo em se tratando de trabalho escrito em formato escolástico, pelos motivos didáticos alegados pelo Autor na introdução a esta “disputatio”.

Outro ponto: divirjamos ou concordemos com a tese exposta de maneira magistral por Álvaro Calderón, é impossível não ser picado por esta mosca azul, que zumbe e voa, voa e zumbe na consciência dos homens de bem. 

No Brasil, país tão pouco afeito à divergência civilizada de idéias, nada como inocular na veia de meia dúzia de homens que buscam adquirir boa formação o vírus da argumentação filosófica em estado puro.

O tema é de capital importância para quem compreende o papel das idéias e das instituições na história pendular da civilização, que oscila e sempre oscilará temporalmente entre alguns cumes de esplendor e muitas planícies de barbárie.

O próximo a ir para a gráfica será, ENFIM, o livro “As Heresias de Pedro Abelardo”, de São Bernardo de Claraval.