sábado, 14 de dezembro de 2013

Pairam pirilampos na floresta...



Sidney Silveira

Um querido amigo pergunta-me qual seria a música representativa dos últimos 10 anos de PT no comando do país. A única que me ocorre de imediato é “O Vira” dos Secos e Molhados, grupo de grande sucesso na minha infância.

A explicação é simples:

Por uma "alquimia" muitíssimo bem tramada, o Partid(ão) fez com que boa parte da população brasileira acreditasse politicamente em sacis, fadas e pirilampos mágicos. Ou pior: fingisse acreditar. Transformou-nos numa mistura de “Sítio do Picapau Amarelo” com “Alice no País das Maravilhas”. Mundo surreal em que hoje uma ventríloqua semiletrada faz as vezes da Rainha de Copas — cortando não as cabeças, por mera desnecessidade, mas as consciências de uma parcela da população suficiente para reeleger a patota “ad nauseam”.

Nem com um rebolado mais feérico que o de Ney Matogrosso no vídeo abaixo o povão tem hoje saída, pois as demais opções além do Partid(ão) com alguma chance de ascender ao poder oscilam entre o psicodelicamente macabro e o eticamente mefistofélico.

Assim, passemos ou não com o gato preto debaixo da escada, o fato é que não há “santo” capaz de fazer o milagre de (re)civilizar o povo brasileiro a médio prazo.

Dá para começar de novo?

https://www.youtube.com/watch?v=vDvjecJOpa4